segunda-feira, 27 de abril de 2009

Mais de 700 animais em risco de morrer de fome

São cerca de 500 cães e 200 gatos, muitos deles abandonados, que vivem nas instalações da União Zoófila em Lisboa.

A comida escasseia: só há alimento para mais 15 dias. Os responsáveis não escondem a preocupação.

Luísa Barroso, presidente da União Zoófila, confessou ao JN estar "muito assustada" com o facto dos armazéns de alimentos da instituição estarem quase vazios. Com cerca de 500 cães e 200 gatos para alimentar diariamente, a responsável calcula que as actuais reservas de ração "só cheguem para mais ou menos 15 dias".

"Costumamos ter três armazéns de ração cheios, mas, nesta altura, tenho apenas meio armazém", explica, enquanto exibe arcas e contentores vazios.

Apesar das graves dificuldades financeiras - são cada vez mais os sócios que não pagam as quotas - a União Zoófila vai comprando alguma comida e sobrevivendo à custa da generosidade de algumas - poucas, insuficientes - pessoas. "Temos mendigado aos amigos para que tragam uma latinha por dia", prossegue a responsável, sublinhando, por exemplo, a gravidade da escassez das "latas de patê", fundamentais para se fazer a mistura. Falta ainda a medicação para os animais doentes - 142 cães, neste caso.

Por outro lado, as instalações da União Zoófila - instituição com 57 anos de história - encontram-se visivelmente degradadas. Há mais de dois anos que não se fazem obras de manutenção e chove em várias "boxes". Também já não há espaço para receber mais animais. Está sobrelotada de dois tipos de cães: os errantes (ou chamados "vadios") e aqueles que já tiveram donos, muitos deles de raças como Dálmata, Golden Retriever, ou Husky Siberiano, tal como o JN testemunhou.

"São quase todos cães abandonados", explica Luísa Barroso, citando "muitos casos em que os donos morreram e os familiares não quiseram ficar com eles" ou situações em que "se a criança espirra, a culpa é logo do cão".

Na óptica da responsável, a crise financeira tem também levado muita gente a deixar os cães junto ao portão da instituição. "Se têm um animal em casa é logo a primeira coisa a cortar. Não cortam nas idas ao cinema, nas férias, nos restaurantes. O animal é o primeiro a ser sacrificado", aponta.

A União Zoófila conta com 11 trabalhadores remunerados - sete tratadores e quatro veterinários - e cerca de 50 voluntários. Além de algumas ajudas de particulares, os apoios escasseiam. A Câmara Municipal de Lisboa, por exemplo, cedeu o terreno mas, diz a responsável, "actualmente apenas faz o favor de vir buscar os cadáveres uma vez por semana". Luísa Barroso frisa que as autarquias deviam adoptar outra política de apoio aos animais: "Podiam proporcionar a esterilização dos errantes e a vacinação gratuita". A presidente da União Zoófila lamenta também que a EPAL "não tenha um gesto simpático", fazendo "um desconto na conta da água" apesar de vários pedidos nesse sentido.

"Nós não ganhámos nada com isto", disse, "a não ser ficarmos com o coração mais cheio com os sorrisos e a simpatia que os cães e os gatos nos podem devolver".

Fonte: JN

Fica aqui o apelo! Todos os que puderem, ajudem estes animais para evitar mais notícias tristes como esta.
Não abandonem os animais!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Dia Mundial da Terra

Hoje comemora-se o Dia Mundial da Terra. Esta data foi criada em 1970 pelo Senador norte-americano Gaylord Nelson, que convocou o primeiro protesto nacional contra a poluição.

A partir de 1990, o dia 22 de Abril foi adoptado mundialmente como o Dia da Terra, assinalando a luta pelo meio ambiente e tentando alertar para problemas que afectam o nosso planeta, tais como o aquecimento global e a poluição.

Actividades como limpeza de praias, palestras sobre aquecimento global, campanhas de reciclagem, concursos, workshops e outros eventos culturais têm lugar hoje em Portugal e no resto do mundo.
Quem se interessa por esta temática, deve assistir hoje à programação especial do canal National Geographic.


Alguns dados sobre o planeta Terra:

- terceiro planeta do sistema solar, tendo a Lua como seu único satélite natural
- área total de 510,3 milhões de km2, sendo aproximadamente 97% composto por água (1,59 bilhões de km3)
- a quantidade de água salgada é 30 vezes a de água doce, e 50% da água doce do planeta está situada no subsolo
- a atmosfera terrestre vai até cerca de 1.000 km de altura, sendo composta basicamente de nitrogénio, oxigénio, arménio e outros gases- o relevo da Terra é influenciado pela acção de vários agentes (vulcanismo), abalos sísmicos, ventos, chuvas, marés, acção do homem) que são responsáveis pela sua formação, desgaste e modelagem- o ponto mais alto da Terra é o Everest no Nepal/ China com aproximadamente 8.848 metros acima do nível do mar

Um site a visitar... Greenpeace


É preciso tomar consciência e agir contra os problemas ambientais do nosso Planeta. Não é só por nós, mas também por eles!

sábado, 18 de abril de 2009

Gatinhos a caminho...

Idade para reprodução
O primeiro cio ocorre por volta de 7 meses de idade. As gatas devem ser acasaladas com mais de 8 meses.As gatas podem ter até 3 partos por ano. O número de filhotes por parto, em média, é de 4 a 8 gatinhos.

Tempo de gestação
O tempo de gestação é por volta de 65 dias.Três a quatro semanas depois do acasalamento, os sinais de gestação começam a ficar evidentes. Elas engordam, ficam mais calmas, os mamilos ficam avermelhados ou rosados.

Reprodução dos gatos
* A fêmea atinge a puberdade entre 5 a 9 meses de idade.
* No cio, a fêmea aparenta nervosismo e miados mais agudos.
* Se a fêmea não acasalar ou não for fertilizada ela deverá repetir o cio dentro de 3 a 15 dias.
* A gestação tem a duração de mais ou menos 59 dias.
* As ninhadas podem possuir diferentes pais se a fêmea permitir o acasalamento com mais de um macho.
* É possível a gata entrar em cio 10 dias após o parto.

Parto gatos
Antes do parto, a gata se isola. É perigoso impor um local para ela ficar, pois a sensação de insegurança pode conduzi-la a retardar o parto, a procurar transportar sua ninhada, ou mesmo a devorar seus filhotes. A duração é variável. É comum gatas interromperem seu trabalho de parto durante 48 horas ( sem conseqüência para os filhotes )
O aleitamento dura geralmente 50 dias. O desmame progressivo dos filhotes pode começar a partir da 4ª semana, quando os filhotes começam a explorar naturalmente as imediações do ninho materno. Em caso de insuficiência de leite materno, o aleitamento artificial é feito.

O aleitamento
Durante as primeiras 48 horas, a gata não abandona as crias. As mamadas são muito frequentes, aproximadamente com intervalos de 20 minutos. Calcula-se que os gatinhos bebam cerca de 2 a 3 ml de leite de cada vez. O seu peso vai aumentando muito rapidamente (deve duplicar semanalmente). Após cada aleitação a fêmea lambe as crias, principalmente na zona ano-genital. A refeição e o estímulo proporcionado pela língua materna desencadeiam a eliminação da urina e dos excrementos que são engolidos pela gata. Inicialmente, os gatinhos movimentam-se pouco e conservam os olhos fechados. As pálpebras abrem-se entre o 10° e o 14° dia. Às 3 semanas de vida, iniciam uma actividade exploratória e aprendem rapidamente a fazer as suas necessidades fora do ninho. Caso encontrem um alimento comestível, tentarão consumi-lo. Progressivamente, o consumo de alimentos sólidos vai espaçar o intervalo entre as mamadas. O desmame completo ocorre 1,5 a 2 meses após o nascimento. A lactação diminui rapidamente, uma vez que a manutenção da secreção do leite está directamente relacionada com o estímulo dos mamilos durante as mamadas.

O desmame
Os gatos nascem com os olhos fechados, estes vão abrir ao fim da primeira semana de vida. Nesta altura, os gatos ainda não vêem bem. A sua visão melhorará gradualmente e estará perfeitamente estabelecida uns dias depois.Os gatos recém nascidos são exclusivamente amamentados pela mãe até cerca das quatro, cinco semanas de vida. Nesta altura, começam a mostrar interesse por outros alimentos, cujo cheiro começa a despertar a sua atenção.Com cerca de seis semanas, os seus gatos vão começar a comer e deixar progressivamente de se alimentar do leite materno, e o seu organismo vai progressivamente habituar-se aos alimentos sólidos. Com cerca de oito semanas os gatinhos já conseguem sobreviver ingerindo só alimentos sólidos. Se vai dar os gatinhos, deve fazê-lo até cerca das dez, no máximo doze semanas, assim vão entrar sem problemas no regime alimentar que o novo dono vai proporcionar, e não vão sofrer tanto com a separação da mãe.Aos gatos jovens recém desmamados deve ser dada comida apropriada, com os nutrientes necessários para o seu crescimento saudável.

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Cuidados com o pêlo do seu Gato

Uma das principais desvantagens em ter um gato em casa é o trabalho que se tem a limpar os pêlos que eles largam por todo o lado. É uma situação inevitável, mas pode ser controlada. Veja como!

Por que é que os gatos largam pêlo?

Os gatos têm essa necessidade, porque é a única forma de substituírem o pêlo velho e morto por fios sedosos e fofos. Os gatos tendem a mudar de pêlo duas vezes por ano: uma na Primavera, quando caiem grandes tufos que protegem o gato do frio do Inverno, e outra no Outono, quando a pelagem se adensa para enfrentar o frio que vai chegar.

Escove o seu gato!

À excepção dos gatos sem pêlo, todos os outros devem ser escovados. É esse o truque para evitar que os pêlos se espalhem por toda a casa. Mas, atenção, não use uma escova qualquer! Cada tipo de pêlo tem escovas apropriadas. Os gatos de pêlo curto devem ser penteados com uma luva com dentes de borracha ou escovas macias, enquanto os de pêlo comprido necessitam de escovas com dentes mais rijos para desfazer as riças.
Portanto, é fundamental que escove o seu gato para que remova os pêlos mortos e estes não se espalhem tanto pela casa. Não se esqueça de que essa tarefa também evita a criação das chamadas “bolas de pêlo” no estômago (resultado das lambidelas que o gato dá ao seu próprio pêlo).